4 de maio de 2015

O SÁBADO


Evangelho de Mateus 5:18, diz:

“ Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido."

Foi anulada sim, a interpretação natural, da letra, a compreensão carnal, mas, manifestada, a interpretação revelada de todo o Velho Testamento e, ainda, todo o Novo Testamento deixado pelos apóstolos do Cordeiro.
Por isso, também, um adventista do sétimo dia, ainda, não consegue compreender o significado real quando Jesus diz, em Mateus 12:8: " Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor ", por causa do espírito da lei que o domina (o mesmo espírito que condenou Jesus). O véu da lei, ainda não foi rasgado.
A doutrina adventista limita a interpretação dentro da compreensão carnal, natural, ritualística, adorando o "sábado terreno natural" negando a revelação embutida na lei do Velho Testamento. Sendo o sábado um dos Dez Mandamentos da lei de Moisés, um mandamento perpétuo, conforme diz o Velho Testamento, de qual sábado estaria falando o Senhor Deus, se este mundo será destruído e o sábado natural desaparecerá com ele? Se o sábado natural irá acabar, ele não pode ser considerado perpétuo, senão, este mundo, consequentemente, não poderia acabar e, todos aqueles que viveram, vivem e viverão pela justiça do sábado terreno, morrerão com ele, sem justificação, pois, a justiça de Deus Pai através de Jesus Cristo é para o descanso do sábado eterno.
O sábado da lei de Moisés foi praticado como ritual natural, como sombra de coisas futuras, mas, o sábado vindo pela revelação de Cristo, será manifestado pelos santos em glória.




Este post faz parte de uma série de postagens que pretendo publicar neste blog, para abençoar a sua  vida, assim como a minha tem sido abençoada, com a leitura do livro IDOLATRIA EVANGÉLICA do irmão Sergio Luiz Brandão, do qual o texto foi retirado e que você poderá também ler na íntegra no site: WWW.blues.lord.nom.br




Nenhum comentário: